terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

EXPANSÃO DO IMPERIALISMO

(…)
“Tu que tens a mania das Invenções e das Descobertas
e que nunca descobriste que eras bruto,
e que nunca inventaste a maneira de não o seres
Tu consegues ser cada vez mais besta
e a este progresso chamas Cvilização! (…)

Grande crescimento da economia capitalista
Na segunda metade do século XIX, a economia capitalista entrou num período de grande crescimento, tanto na Europa como nos Estados Unidos da América.

Reflexos desse crescimento
O crescimento econômico refletiu-se na ampliação do comércio mundial e no enorme acúmulo de capitais entre os empresários das grandes potências. Calcula-se que 80% do capital mundial concentrou-se em poucas nações ricas, como Inglaterra, França, Alemanha e Estados Unidos.

Segunda Revolução Industrial
A expansão capitalista estava ligada ao grande desenvolvimento técnico e científico registrado nesse período (1860-1900). Esse extraordinário desenvolvimento técnico costuma-se ser denominado Segunda Revolução Industrial.

As possibilidades de aumento da produção econômica, decorrentes da Segunda Revolução Industrial, estimularam a ambição da poderosa burguesia das grandes potências.

O capitalismo financeiro e monopolista
A nova fase da economia capitalista foi marcada pela concentração econômica da produção e do capital em torno de grandes empresas ou associações de empresas.

Como ocorreu essa concentração econômica
A livre concorrência das empresas capitalistas transformou-se numa verdadeira batalha de preços. Nessa batalha, as empresas mais poderosas foram vencendo as mais fracas.
As empresas vencedoras na luta dos negócios foram concentrando capitais e dominando toda a produção de alguns setores. Surgiram, então, os monopólios industriais, que eliminavam a concorrência e podiam fixar preços em busca de maiores lucros.
Esses monopólios industriais eram representados pelo cartel, pelo holding e pelo truste, novas formas de organização das empresas que perduram até hoje.

Setor bancário
O processo de concentração econômica também se desenvolveu no setor bancário. Os grandes bancos acabaram associando-se às grandes indústrias para financiar seus investimentos e participar dos lucros de seus projetos.

Capitalismo financeiro e monopolista
A fusão do capital bancário com o capital industrial marcou essa nova fase do capitalismo, conhecido como capitalismo financeiro e monopolista, caracterizado por:

• grande aumento da produção industrial, que para ser vendida necessitava da ampliação dos mercados consumidores.
• grande acúmulo de capitais, que precisavam ser investidos em novos projetos lucrativos.

CONCEITOS
Cartel: um grupo de grandes empresas que estabelecem entre si um acordo com o objetivo de controlar os preços ou o mercado de um determinado setor.
Holding: a empresa que possui o controle acionário sobre outras empresas (compra a maioria de suas ações), embora elas mantenham denominação própria e independência
Truste: Fusão de diversas empresas do mesmo ramo.

Neocolonialismo
Nessa nova fase, o capitalismo começou a enfrentar um problema. A venda da produção industrial e a realização de novos investimentos de capitais estavam limitadas pelas barreiras impostas dentro do mercado interno das grandes potências capitalistas. É que todas as grandes nações tomavam medidas protecionistas dificultando a invasão de seus próprios mercados pelos países concorrentes.

A conquista de novos mercados
A solução que o capitalismo financeiro encontrou para exportar a produção industrial e investir os capitais acumulados foi conquistar novos mercados. O alvo foram as nações pobres, que ainda não tinham atingido o desenvolvimento industrial: regiões da Ásia, da África e da Oceania. assim, para expandir-se, as grandes potências adotaram uma política imperialista, passando a dominar outros países do mundo.

Imperialismo e neocolonialismo
O imperialismo foi responsável pelo neocolonialismo do século XIX. O objetivo do neocolonialismo era a repartição econômica política do mundo entre as grandes potências capitalistas.

A ideologia imperialista
A principal justificativa ideológica para o neocolonialismo do século XIX era a missão civilizadora das grandes potências que tinham por obrigação difundir o progresso pelo mundo.
Criou-se, assim, o mito da superioridade da civilização industrial do ocidente, tendo por base três elementos:
• As características biológicas do povo (raça branca)
• A fé religiosa (cristianismo)
• O desenvolvimento técnico e científico (Revolução Industrial).

Com base nessas ideias racistas e de superioridade cultural, formularam-se argumentos para justificar a exploração brutal de diferentes povos africanos e asiáticos.

A partilha da África e Ásia
A África e a Ásia foram totalmente repartidas entre as potências européias, que chegaram a se envolver em conflitos pela posse dos melhores territórios.

Conceitos
Imperialismo: É a forte influência econômica de um país rico e industrializado sobre um país pobre.
Neocolonialismo: Novo Colonialismo. Essa expressão designa a nova forma de dominação de regiões realizada pelas ricas nações capitalistas do século XIX
Colonialismo: É o domínio político formal que um país exerce sobre uma região, que é transformada em colônia e se torna propriedade desse país.